Resenha: Joyland


Nome do Livro: Joyland
Nome do Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano da Edição: 2015
Número de Páginas: 240
Nota: ⭐⭐⭐

Sinopse:  Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

“Quando se tem vinte e um anos, a vida é um mapa rodoviário. Só quando se chega aos vinte e cinco, mais ou menos, é que se começa a desconfiar que estávamos olhando para o mapa de cabeça para baixo, e apenas aos quarenta temos a certeza absoluta disso. Quando se chega aos sessenta, vai por mim, já se está completamente perdido." - Pág. 20


O livro é narrado em primeira pessoa e nos apresenta um Devin mais velho, contando suas aventuras em Joyland - um parque de diversões antigo, com brinquedos imprescindíveis a um verdadeiro parque e cheio de funcionários misteriosos.
Tudo começa quando Devin decide trabalhar temporariamente no parque, já que sua namorada arrumou um emprego durante as férias da universidade. Chegando lá, ele e vários novatos, se deparam com histórias de fantasmas e funcionários um tanto quanto loucos e mal-humorados. 
Lá, Devin conhece seus melhores amigos, vive momentos incríveis e inexplicáveis. Momentos esses, que Devin decide compartilhar escrevendo sua história, nos contando suas versões dos fatos. 

“O amor deixa cicatrizes.” Pag 38

Os personagens são ótimos, bem construídos e com boas histórias. Me apaixonei pelo Devin, Mike e Annie.
Não tem como não querer fazer parte de uma família de parques de diversões e vender alegria todos os dias. 


Ah, King. Você é o maior mestre do terror e suspense, mas o que você fez nesse livro?
A premissa é incrível e a trama é muito envolvente, porém, tudo de mais incrível acontece nas últimas 40 páginas. O resto do livro é só uma narração um tanto quanto "sem graça".
Definitivamente, não é uma das melhores histórias do King. Pensei que, por ser curto, ia ser surpresa atrás de surpresa, mas não foi.  

“Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas acho que em quase toda a vida há alguns.” Pag 185

Ainda assim, para os fãs do King ou até para aqueles que querem começar a ler obras do autor, mas querem começar por algo leve (até demais), poderiam começar por esse.

Então, até mais, caipiras. (Essa é pra quem já leu!💛)

Comentários